Captura de Tela 2017-09-16 às 10.31.53.png

O que é quimioterapia?

 

A quimioterapia é o tratamento sistêmico do câncer.  Nela são utilizadas drogas de atividade antitumoral que podem ser usadas de forma única ou combinadas com outras drogas, por via intravenosa ou oral.

Essas drogas agem através de mecanismos que interferem na divisão celular. Desta forma podem decompor enzimas e proteínas que atuam na síntese e divisão do DNA, impedir que enzimas reparem as lesões do DNA ou ainda atacar diretamente o DNA em divisão.

Ela é considerada sistêmica pelo fato de que essas drogas atuam em todas as células em divisão, nas tumorais e nas saudáveis. Mas enquanto as células tumorais morrem, as saudáveis se recuperam pelo seu eficaz mecanismo de reparação.

 

O tratamento com a quimioterapia pode ter algumas finalidades:

 

Quimioterapia curativa - é quando a quimioterapia é o principal tratamento utilizado para o combate ao câncer.

 

Quimioterapia adjuvante ou profilática - é quando a quimioterapia se associa a outros tratamentos, como por exemplo, cirurgia e/ou radioterapia.

 

Quimioterapia neo-adjuvante - é a quimioterapia que acontece antes da cirurgia, com o objetivo de reduzir o tamanho do tumor antes da cirurgia, e desta forma tentar realizar uma cirurgia mais conservadora.

 

Quimioterapia para controle temporário da doença - quando a quimioterapia é indicada para tumores em estágios avançados, recidivados ou hematopoiéticos crônicos, sem possibilidade de cura, mas com possibilidade de aumento da sobrevida.

Quimioterapia paliativa - é a quimioterapia indicada para amenizar os sintomas que comprometem a funcionalidade do paciente, sendo de duração limitada e que não repercute na sobrevida do paciente.

 

 

Quais os efeitos colaterais da quimioterapia?

 

Dentre os efeitos colaterais, podemos encontrar: anemia, fadiga, maior propensão a infecções, mucosite, náusea, vômito, diarreia, obstipação intestinal, alterações no paladar, perda de apetite, queda de cabelo (alopécia), alterações de sensibilidade nas mãos e nos pés, neurotoxidade, cardiotoxicidade, hepatotoxicidade.

Porém, esses efeitos não ocorrem em todos os pacientes que realizam esse tratamento, pois eles estão relacionados à condição clinica do paciente, aos tipos e as combinações de drogas utilizadas. Além disso, a maioria desses efeitos são transitórios, desaparecendo após o tratamento.

 

 

Como amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia?

Para cada efeito colateral tem-se algum recurso fisioterapêutico que pode ser utilizado para reduzir os sintomas. Por exemplo, para a fadiga, a indicação da realização de exercícios está bem estabelecida; para náuseas e vômito pode ser utilizado o TENS, associado à acupuntura; na constipação podem ser utilizadas terapias manuais; nas neuropatias pode se utilizar TENS, FES e técnicas de dessensibilização. Ou seja, existem diversas formas e recursos que aliviam esses sintomas. O importante é sempre procurar um profissional capacitado.