Diagnóstico do câncer

 

O câncer é uma doença que não apresenta um sinal ou um sintoma específico, que o diferencie de outras patologias. Por esse motivo, muitas vezes ele é diagnosticado por outros profissionais que não o médico oncologista.

Dessa forma, vale ressaltar a importância de todos os profissionais da área da saúde conhecerem a patologia, podendo assim auxiliar na detecção precoce de alguns tipos de câncer e orientar quanto ao especialista mais adequado para o tratamento.

Para diagnosticar a doença, são utilizados recursos como o exame físico, exames laboratoriais, tomografias, ultrassonografias, ressonâncias magnéticas, biópsias do tecido que está sob suspeita, dentre outros.

 

Detecção precoce

 

No Brasil, o Ministério da Saúde faz diversas campanhas para detecção precoce do câncer, principalmente do câncer de mama e de colo de útero.

Quanto mais precoce o diagnóstico é realizado, maiores são as chances de resposta completa ao tratamento e cura da doença.

Infelizmente isso não é uma realidade. Diversas regiões do Brasil e até em grandes capitais, muitas pessoas não tem acesso ao diagnóstico e permite-se dessa forma que a doença avance e não se obtenha a melhor resposta aos tratamentos.

 

Rastreamento

 

O rastreamento ou screening é quando são realizados exames em pessoas consideradas saudáveis, sem sintomas de doenças, com o intuito de selecionar as que apresentam maior probabilidade de apresenta-las, por terem seus exames alterados.

 

  • Rastreamento organizado – realizado por instituições de saúde de abrangência populacional (geralmente pelo SUS) em pessoas que se enquadram no programa seja pelo sexo, faixa etária, entre outros.
  • Rastreamento oportunístico – quando a pessoa procura o serviço de saúde por alguma razão e o profissional de saúde aproveita o momento para rastrear alguma outra doença ou fator de risco.